Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

TraduzirTranslate

TraduzirTranslate

Linguística e tradução

A tradução em si é o ato de traduzir, sendo que traduzir é “fazer passar (…) de uma língua para outra (…); exprimir, interpretar” ("traduzir", in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, http://www.priberam.pt/dlpo/traduzir [consultado em 20-05-2014]). A tradução ainda continua a ser vista por muitos como um ato que se pode fazer rapidamente e em cima do joelho, a baixos custos, simplesmente porque se acredita que qualquer um pode fazê-lo, bastando, para isso, saber alguma coisa das línguas em causa. Neste contexto, não se pensa em mais nada, só que o texto na língua X deve ser passado para a língua Y. E, assim de repente, parece uma tarefa trivial. Mas ponha-se cada um a fazê-la. Quando começar, vai dar-se conta que algo se passa. E a experiência vai, com certeza, congregar um “tudo” a partir de muitos pontos de vista e formas de “fazer” esta tarefa. Então, este “tudo” reúne atos de interpretação do sentido das palavras, de procura de analogias que definem os termos, de procura de modos de produção e de funcionamento do sistema de sinais em questão, contemplação do significado das palavras, de atenção sobre os itens lexicais das línguas envolvidas sobretudo nos seus diversos aspetos de acordo com os fins propostos, de um uso da linguagem em contexto, e, para finalizar em grande, de elaboração de uma crítica em torno da composição, uso e avaliação dos dicionários. Assim, de repente, pensa-se a língua, sem nos darmos conta da quantidade de áreas que este pensar envolve e não conseguimos definir uma só relevante em detrimento das outras. E, de repente, este ato, aparentemente tão simples, pode desdobrar-se num ato relativamente complexo, repleto de reflexões, investigações e conclusões.

Exploring translation theories

Theories are quite necessary to our practice, because we all tend to think about what we do, how we do it and with what purpose. I believe the following small extract could give a clear idea of this:

 "Translators are theorizing all the time. Once they have identified a translation problem, they usually have to decide between several possible solutions. [...] This private, internal theorizing becomes public when translators discuss what they do. [...] This does not mean that all our theorizing is constantly turned into public theories. [...] Only when there are disagreements over different ways of translating does private theorization tend to become public theory. [...] When those kinds of arguments are happening, practical theorizing is turning into explicit theories. The arguments turn out to be between different theoretical positions. [...] As theorizing turns into theory, some theories develop names and explanations for multiple aspects of translation, including names for the presumed blindness of other theories. When that stage is reached, it makes sense to talk about different "paradigms," here understood as sets of principles that underlie different groups of theories (cf. Kuhn 1962). This particularly occurs when we find general ideas, relations, and principles for which there is internal coherence and a shared point of departure. [...] Awareness of a range of theories might also help the translation profession in a more direct way. When arguments occur, theories provide translators with valuable tools not just to defend their positions but also to find out about other positions. [...] Since all translators are always theorizing, it would be quite wrong to separate the theory from the practice. [...] The real learning of theory, even for the self-learner, should be in dialogue and debate."

Source: Pym, A. (2014). Exploring Translation Theories. Second Edition. Routledge, NY.

Metodologias

A partilha de experiências é importante para o enriquecimento daquilo que representamos como pessoas e profissionais. Neste contexto, a meio de uma pesquisa online encontrei um documento a que não fiquei indiferente não só pelos conteúdos técnicos abordados na área que me diz respeito, a tradução, como pela informação veiculada pelo texto traduzido (para saber mais, visitar o site abaixo):

"Antes de iniciarmos o trabalho de tradução, é importante definir a metodologia que se irá seguir.[...] Gouadec (2007) propõe como fases do processo tradutivo um modelo que organiza e segmenta a metodologia do processo de tradução em três fases: pré-tradução, tradução e pós-tradução. [...]

Nesta primeira fase [de pré-tradução] são incluídas todas as tarefas respeitantes ao relacionamento tradutor/cliente e também a prospeção de mercado. É durante este período que o tradutor discutirá com o cliente os pormenores do trabalho em questão. [...] Assim, podemos parafrasear a definição de pré-tradução dada por Gouadec (2007), como sendo um conjunto de actividades que conduzem à tarefa de tradução, ou seja, engloba tarefas como compreensão do texto, procura de informação, mobilização de terminologia e fraseologia necessária e preparação do material a traduzir. [...]

A fase de tradução engloba o trabalho de tradução propriamente dito que se faz em três etapas: a pré-transferência, a transferência e a pós-transferência. A primeira tem como objectivo proporcionar as condições para o início da transferência, por outras palavras, investigação e documentação, atualização das memórias de tradução, elaboração de glossários e compilação da terminologia, recurso a especialistas ou as ferramentas de tradução, uniformização, contacto com cliente (discussão e análise de opções). As duas fases seguintes, segunda e terceira, englobam a tradução em “bruto”.  [...]

A fase de pós-tradução engloba a revisão do material traduzido, a correção do mesmo, validação por parte do cliente e a entrega do produto final e faturação, mas também a gestão de todo o material e recursos utilizados que poderão ser úteis em traduções futuras."

Fonte: Anabela Muge, A tradução e adaptação discursiva de textos no domínio da menopausa,

Translation & Traductology

Recently I had the chance to participate in the 9th International Colloquium, Translation & Revolution, organized by the Translation Studies in Portugal, Universidade Católica de Lisboa. It was very nice and had a great time hearing new perspectives from the point of view of investigators in this area. The themes approached and discussed in this Colloquium were associated with the translation activity during and immediately after the Carnation Revolution in Portugal and other political regime revolutions in countries like Spain, Poland, among others. Connected to this topic another one was under discussion, that of censorship and how it configured the translation outcomes. There were a few interesting points of view and conclusions and/or observations (when a conclusion was apparently not met) within the different articles. Most of the articles involved the literary translation to the detriment of the more immediate and the so called technical translation. Some articles also made a type of comparison between the literary genders translated and their influence range, as well as the translator’s gender concerning whether it would also be of significance to the translation of different literary texts. In what concerned literary translation it was interesting to realize what kind of studies are relevant at the moment in Portugal. There seems to be some concern with how translation is being thought comprehending the whole concept of the translation, its operation, goal and impact in politics, social values, and life itself. However, in my opinion, it lacked the building of a bridge to the new millennium. So, at some point I felt that everyone was stuck back in time and the question – what now? – still remains.

The author Amparo Hurtado Albir makes the difference between ‘traducción’ (translation) and ‘traductologia’ (traductology), meaning by this that the former serves more the ‘know-how’ by focusing on the practical aspects of the translation activity itself, and the latter serves more the theoretical part of it within a more interactive atmosphere with other study areas such as Linguistics. In this context, the author speaks of a translator and a ‘traductologist’. From this point of view, I feel there are perhaps many conferences organized by universities that are based on themes that we could include in ‘traductology’; and less that are based on themes associated with translation as we know it ‘in the common pragmatic world’. I would but keep the bridge in mind. I am not so sure both areas have such different relationships. I believe they belong together, both being the supplement of the other. I truly believe they could serve better purposes and develop others for both areas of interest.

Teoria e a minha prática

No volume I da “Teoria da linguagem”, capítulo 9.24, página 259, 6.ª edição, José Herculano de Carvalho escreve que “a língua é um instrumento de pensar e comunicar”. No âmbito da tradução, as línguas envolvidas (a de partida e a de chegada) são isto mesmo “um instrumento de pensar e comunicar”. Sempre que recebo um texto para traduzir, o primeiro passo que dou é “passar os olhos” a esse mesmo texto. De uma forma geral, o texto parece ser fácil de traduzir, independentemente de ser técnico ou geral. Nem sempre há tempo para ler integralmente o texto de partida (Tp), sobretudo se este for relativamente longo. Por sua vez, o cliente também não pode aguardar muito tempo pela resposta de aceitação ou recusa da tradução. Aceito esse trabalho de tradução e leio, depois com mais calma, o texto de partida. Começo por reparar num ou noutro termo que desconheço ou me soa estranho dentro do contexto em questão. O processo de leitura do Tp vai-se tornando mais minucioso, à medida que vou fixando a minha atenção para unidades cada vez mais pequenas. A um primeiro reflexo, o Tp não parece suscitar problemas de tradução. No entanto, é inevitável, surge a expressão, que cito de Hans G. Hönig em “Übersetzen zwischen Reflex und Reflexion”, “Ich weiß nicht, was das heißt” (Não sei o que isto significa). De reflexo passo a uma fase de reflexão sobre o termo ou expressão do Tp que a tradução a um primeiro reflexo não correspondia. Tal como escreve Hönig – “Beim Übersetzungsvorgang führt der Übersetzer einen Dialog mit sich selbst. Er produziert Formulierungen, die er dann einer Kritik unterwirft” –, durante o processo de tradução, estabeleço várias vezes um diálogo comigo mesma (ou, pelo menos, um monólogo) levando-me a formular o texto e a submeter uma crítica sobre o mesmo, resultando, ou não, na sua reformulação. Inicialmente, lá atrás, a minha base de trabalho consistia essencialmente na fórmula de Laswell (tão abordada durante o meu curso), que pressupõe que o processo de tradução se pode basear em alguns aspetos internos e externos ao Tp e ao texto de chegada (Tc). A fórmula de Laswell é um esquema de orientação para o tradutor organizar o seu processo de tradução/reflexão. Alguns fatores são mais relevantes do que outros, conforme a área do Tp. É claro que, com o tempo, tudo se vai aprofundando e acabamos por enveredar por processos de tradução que, não descurando estes fatores, encontram outros termos para determinar fases do processo geral de tradução.

Os Meus Serviços Linguísticos & My Language Services

Tradução técnica e criativa

Revisão de língua

Revisão técnica

Revisão de estilo

Revisão de layout e design

Análise e organização de conteúdos

Revisão de textos para publicação editorial

Produção de textos orientados para objetivo

Consultoria e avaliação linguística de acordo com os objetivos

&

Technical and creative translation

Proofreading (grammar, style)

Revision (layout and design)

Content analysis and organization

Text revision for editorial purposes

Target oriented text production

Target oriented consultancy and linguistic assessment

 

Referências/References

LanguageWire

"We have been working with Gabriela Lima since September 2005 on various translation and proofreading projects. We are very happy with the cooperation. We always receive high quality translations and timely deliveries. The communication is always very friendly and professional and we look forward to continuing the good cooperation."

Branco Fachübersetzungen

Um excelente local para estágio para a combinação linguística Alemão-Português:
"Branco Übersetzen und Dolmetschen", empresa fundada por Duarte Branco, a pessoa a quem devo os meus primeiros 5 anos de percurso em tradução e agradeço profundamente todo o apoio e amizade durante o estágio e ao longo dos 5 anos de trabalho em regime de tempo inteiro e mesmo, depois, já como freelancer.

Membership:

APTRAD - Associação de Profissionais de Tradução e de Interpretação

Experiência / Experience . Educação / Education . Formação / Training

Experiência

Desde 1995 e, atualmente, tradutora freelancer

Experiência reunida: diversas áreas, tais como saúde e medicina, indústria em geral, marketing e publicidade, desenvolvimento humano

1999-2004 Coordenadora Editorial de livros escolares e não-escolares no Departamento de Coordenação Editorial, Porto Editora Lda.

Experience

Since 1995 and ongoing
Freelance translator
Experience gathered: various fields, such as health and medicine, general industry, marketing and publicity, human development
1999-2004
Edition Coordinator at the School and Non-school Book Department, Porto Editora Lda.

Educação

Entre setembro de 2019 e dezembro de 2019
Frequência e conclusão da disciplina "Temas de Semântica I" integrada no Mestrado em Linguística, FLUP.

1997-1998
Frequência do Curso de Linguística Comparada, Estudos Comparados de Línguas Indo-europeias, universidade alemã: Justus-Liebig-Universität-Gießen
1995
Licenciatura em LLM, Estudos Portugueses/Alemães, Ramo de tradução, FLUP
Dica:
Um excelente local para estágio para a combinação linguística Alemão-Português:
Branco Übersetzen und Dolmetschen, empresa fundada por Duarte Branco, a pessoa a quem devo os meus primeiros 5 anos de percurso em tradução e agradeço profundamente todo o apoio e amizade durante o estágio e ao longo dos 5 anos de trabalho em regime de tempo inteiro e mesmo, depois, já como freelancer.

Education

Between September 2019 and December 2019
Frequency and completion of the subject "Temas de Semântica I" (Topics on Semantics I) within the Master Course "Mestrado em Linguística", Faculty of Arts, University of Porto

1987
British Institute (hoje British Council)
First Certificate in English

1997-1998
Frequency in Comparative Linguistics - Comparative Study of Indo-European Languages, German university: Justus-Liebig-Universität-Gießen
1995
Degree in LLM (Modern Languages and Literatures), Specialisation in Translation German/Portuguese, Faculty of Arts, University of Porto
1987
British Institute (today British Council)
First Certificate in English

Formação, eventos

2020-2021
Webinars sobre SEO organizados pela Languagewire

Fev 2020 - Jun 2020
Frequência das disciplinas de “Temas de Semântica II” e “Linguística Forense” integradas no Mestrado
em Linguística, FLUP

Outubro 2015
Translation & Revolution - 9th International Colloquium
Translation Studies in Portugal, Universidade Católica de Lisboa

Março 2015
16 de março:
Workshop: Introdução ao Project Managament
17 de março: Cimeira de Tradução
Organizados por Jabacademy (Jaba Translations)
Junho 2014
Breve workshop: Introdução ao Google AdWords
CNIA, InOffice, Matosinhos
Maio 2014
Workshop: "Gestão de projetos, gestão da inovação e criatividade", CNIA, InOffice, Matosinhos
Nov-Dez 2012
Curso online informal
Instumentador Cirúrgico
(Portal da Educação, Brasil)
Maio 2005
Participação nos "Encontros de Tradução", organizados por ISAI
Maio 2004
Participação na Feira do Empreendedor no Mercado Ferreira Borges e Palácio da Bolsa, Porto
Participação no Seminário "Inovação e Empresas de Base Tecnológica" organizado por NET (Novas Empresas e Tecnologias SA)
Participação na conferência "Alargamento da União Europeia – Fundamentos, Desafios e Perspectivas", organizada por NET (Novas Empresas e Tecnologias SA) e pela Oficina da Inovação SA do Minho
Maio 2001
Participação nos "III Encontros de Tradução", organizados pela associação de tradução AsTraFLUP

Training, Events

2020-2021
Webinars on SEO organized by Languagewire
Feb 2020 - June 2020
Frequency of the subjects “Topics on Semantics II” and “Forensic Linguistics” within the
Master Course “Mestrado em Linguística”, FLUP
October 2015
Translation & Revolution - 9th International Colloquium
Translation Studies in Portugal, Universidade Católica de Lisboa
March 2015
16 March: Workshop: An Introduction to Project Managament
17 March: Translation Summit
Organized by Jabacademy (Jaba Translations)
June 2014
Brief Workshop: Introduction to Google AdWords
CNIA, InOffice, Matosinhos
May 2014
Workshop: "Project Management, Innovation and Creativity Management" ("Gestão de projetos, gestão da inovação e criatividade"), CNIA, InOffice, Matosinhos
Nov-Dec 2012
Informal online course
Surgical Instumentator
(Portal da Educação, Brazil)
May 2005
Participation in the Conference within Translation (Encontros de Tradução) organised by ISAI
May 2004
Participation in the Entrepeneurial Expo (Feira do Empreendedor) in Mercado Ferreira Borges and Palácio da Bolsa, Porto
Participation in the Seminar “Innovation and Technological Entreprises” (Inovação e Empresas de Base  Tecnológica) organised by NET (Novas Empresas e Tecnologias SA – Business and Innovation Centre of Porto)
Participation in the Conference “European Union Widening – Foundations, Challenges and Prospects” (Alargamento da União Europeia – Fundamentos, Desafios e Perspectivas) organised by NET (Novas Empresas e Tecnologias SA – Business and Innovation Centre of Porto) and Business Innovation Centre of Minho (Oficina da Inovação SA)
May 2001
Participation in the Conference within Translation (III Encontros de Tradução) organised by the translation association AsTraFLUP